Tecnologia revolucionária para o tratamento da depressão, chega a Volta Redonda

0
1891

Uma nova técnica promete abreviar o tratamento da depressão. A Estimulação Magnética Trancraniana (EMT) tem obtido excelentes resultados na recuperação de pacientes depressivos e diminuído a reincidência da doença. A boa notícia é que esse tratamento já está sendo aplicado em Volta Redonda.

A depressão é uma doença psiquiátrica crônica, extremamente comum, caracterizada por uma tristeza profunda além do normal, baixa autoestima e dificuldades de lidar com a vida pessoal e profissional. O crescimento da doença chamou a atenção do mundo, tanto que em 2017 a depressão foi o tema da Semana Mundial da Saúde, que aconteceu agora no mês de abril.

A síndrome afeta 322 milhões de pessoas no mundo, segundo dados divulgados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em fevereiro desse ano. Em 10 anos, de 2005 a 2015, esse número cresceu 18,4%. A prevalência do transtorno na população mundial é de 4,4%. No Brasil ela atinge 11,5 milhões de pessoas.

Conversamos com o Dr. Rubens Soares Melo, psiquiatra e psicanalista do IPEVRE – Instituto Psicopedagógico de Volta Redonda e com um paciente da clínica para entender melhor sobre a doença e sobre esse tratamento revolucionário.

Dr. Rubens nos explicou que há uma série de evidências que mostram alterações químicas no cérebro do indivíduo deprimido, principalmente em relação aos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina e dopamina, por exemplo). “A depressão pode ter causa genética, alimentar, psicológica e proveniente do uso de drogas. É uma doença considerada curável e os medicamentos anti-depressivos, associados a algumas formas de psicoterapia, podem ajudar no tratamento de 60 a 80% dos pacientes. Para os 40 a 20% restantes as opções eram escassas até o surgimento do EMT. Além disso ele diminui as chances de reincidência da doença” – Explica.

Sobre o EMT

A Estimulação Magnética Transcraniana (EMT) é um procedimento médico, que utiliza estímulos magnéticos estimulantes ou inibitórios para reestabelecer o funcionamento cerebral. Ela tem sido utilizada no tratamento da depressão, esquizofrenia, alucinações visuais, transtornos obsessivos compulsivos, entre outras doenças e apresenta resultados surpreendentes. “ O tratamento com EMT estimula os neurotransmissores com muitas vantagens. É indolor, não invasivo e sem efeitos colaterais. Alguns remédios costumam diminuir a libido e causar sonolência e muitos pacientes acabam não utilizando corretamente ou interrompendo o tratamento em virtude desses efeitos.” – explica. O procedimento é reconhecido pelo Conselho Federal de Medicina como eficaz, desde 2012.

O IPEVRE trouxe essa tecnologia de forma pioneira para a nossa região e está ajudando a mudar a vida de diversas pessoas por meio dela.

Conversamos com um paciente da clínica, que não terá seu nome identificado, e ele compartilhou conosco um pouco da sua história e experiência com o tratamento. Ele nos contou que as sessões de com o EMT contribuíram muito com a melhora da sua qualidade de vida “Estou me sentindo muito melhor do que antes, mais disposto, ativo. Após as primeiras três sessões, já senti melhoras no meu sono e a ansiedade.”- Explica. Relatou, ainda, como é a sensação durante as sessões “Nas primeiras sessões é possível sentir as ondas magnéticas, mas com o tempo elas se tornam até relaxantes. Chega a dar sono!” – comenta sorrindo.

Esse paciente já encerrou o tratamento com o EMT e, apesar de os resultados efetivos ainda levarem um tempo, a mudança já se tornou perceptível “As pessoas que me conhecem já notaram muita diferença. Antes o meu semblante denunciava a depressão. Estava estampado. Hoje quem não me é próximo, não diz que sou depressivo!” – explica.

Por fim, o paciente ainda deixou uma mensagem valiosa pra quem sofre com a depressão “ O depressivo acha que nada vai dar certo e, por isso, acaba interrompendo os tratamentos. É preciso encarar e fazer as sessões mesmo sem ter vontade, porque vai dar certo! – recomenda.

Acabe com o preconceito

Todas essas pesquisas e entrevistas feitas pela redação do Ponto de Saúde nos ensinaram bastante sobre o assunto como um todo, e o que sentimos durante esse processo é que há muita falta de informação e preconceito em relação à depressão.

Nosso entrevistado compartilhou um pouco da sua história de vida conosco e, por meio dela, gostaríamos de desmitificar algumas coisas. “Minha depressão é genética. 80% da minha família sofre com essa doença. O mais curioso é que eu tive sintomas por dez anos, sem saber que era depressivo. Eu sentia um cansaço extremo, muitas dores nas juntas e chorava com muita facilidade. Tinha muitos herpes também. Foi quando esses sintomas começaram a ficar incontroláveis que o sinal amarelo acendeu! Quando a doença te controla você se sente acabado, impotente e sem vontade de fazer nada. Quer ficar longe de tudo e de todos. Se trancar. “ – relata.

É muito comum encontrarmos pessoas deprimidas que não aceitam o seu diagnóstico ou familiares/amigos que tratam o paciente deprimido como alguém mentalmente fraco, incapaz de superar as dificuldades da vida. Não se deve tratar o paciente deprimido como alguém simplesmente triste, incapaz de reagir. “As pessoas têm preconceito em relação à depressão. Acham que é espiritual. Há muita falta de conhecimento em relação ao assunto. Acham que é falta de ocupação enquanto, na verdade, é uma doença! Isso é difícil!” – explica nosso entrevistado.

Mais do que a tristeza, a depressão não é uma fraqueza ou falta de disciplina, nem é algo que o paciente possa simplesmente resolver apenas com a vontade própria. Para o deprimido, deixar de estar triste não é como deixar um vício. Não é uma questão de tomar a decisão e manter-se fiel a ela. A depressão é uma doença crônica que geralmente requer tratamento a longo prazo, como são o diabetes ou a hipertensão, por exemplo. Assim como ninguém deixa de ser diabético apenas com a força de vontade e pensamento positivo, a depressão também precisa de ajuda médica para ser controlada.

Por isso recomendamos que você, que está lendo esse texto, se informe sempre, busque ajudar e acima de tudo entender, caso alguém do seu lado esteja precisando!

Se você quiser saber mais sobre a depressão e o tratamento com o EMT, é só procurar o IPEVRE

Sobre o IPEVRE

O Instituto Psicopedagógico de Volta Redonda (IPEVRE), tem uma história de 34 anos. Foi criado em 1974, por iniciativa de vários profissionais da área medica, psicológica e pedagógica, com vista ao tratamento de crianças portadoras de necessidades especiais e crianças com transtornos emocionais.

Hoje, mantém sua equipe de profissionais voltados para a área de Psiquiatria, Neurologia, Eletroencefalografia e Mapeamento Cerebral, Psicologia, Fonoaudiologia. Fundamos a AGRADA, que é uma Regional da ABDA (Associação Brasileira de Déficit de Atenção). Mantemos uma equipe de atendimento, diagnóstico e tratamento em crianças, adolescentes e adultos com TDAH e Transtornos de Humor Bipolar.

O instituto fica no Shopping 33,Torre II, na Vila Santa Cecília.

Telefone: (24) 3342-8552

Mais informações: http://www.ipevre.com.br

Tecnologia revolucionária para o tratamento da depressão, chega a Volta Redonda
Avalie nosso conteúdo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu Nome